Alfonso X
Jogos Modernos
Jogos de Mesa
Jogos Infantis
Jogos para Grupos
Jogos de Rua
Quebra-Cabeça
Jogos de Tabuleiro
Jogos Diversos
Jogos de Boteco
Jogos Matemáticos


Escritos
Concursos



 
Batalha Naval  

Não é, formalmente falando, um jogo para grupos, uma vez que somente se presta para jogos entre duas pessoas. Já tentei jogar com três pessoas, mas fica meio estranho, além de demorado.

Lembro-me que, numa determinada época, virou moda, aqueles cadernos grandes, que chamávamos de "universitários", trazerem algumas folhas extras, com o impresso para o "batalha naval". No mínimo, antipedagógico...

Mas é um joguinho bem divertido, de alguma estratégia e de muita sorte. Num "tabuleiro" quadriculado, de 15x15, são dispostos diversos navios, de tamanhos diferentes, hidro-aviões e submarinos. O adversário faz o mesmo, sem que um veja o "mar" do outro. Passam então a desferir tiros, através de coordenadas (A1, C6, G12, etc...). Se não se acerta nada, deve ser dado o aviso de "água". Atingido algo, deve-se informar ao adversário, sem porém indicar o que foi acertado, até que ele afunde inteiramente o alvo.

Com o tempo, passou-se a produzir também tabuleiros de plástico, dando ao jogo o "status" de jogos de tabuleiro, e não mais de jogo de "papel e lápis".

O amigo Dilson, mais uma vez colaborando com o site, descobriu as seguintes informações, a respeito do jogo, que ele afirma ser conhecido mundialmente como "Battleship" ou "Salvo":

"O jogo, que foi lançado comercialmente em 1931, pela Starex Novelty Co., de Nova York com o título SALVO, foi, de acordo com a Whitehill, criado originalmente por soldados russos durante a 1a. Guerra Mundial.

Mas Partlett (em Oxford History of Board Games, 1999, page360) indica que a origem pode estar no jogo militar francês da 1a. Guerra Mundial, "L'Attaque". Quando o jogo evoluiu e foi publicado na Inglaterra, foi adicionada uma variante com aviação. Partlett também diz que o jogo é aparentado de outro clássico da Whitehill, Stratego (aqui no Brasil conhecido inicialmente como Front e depois como Combate).

Pequena história comercial do Batalha Naval:

1931: Editado pela Starex Novelty Co. de Nova York, com o título SALVO.

1933: A Strathmore Co. publica COMBAT, THE BATTLESHIP GAME.

1943: Milton Bradley publica o jogo de papel-e-lápis BROADSIDES, THE GAME OF
NAVAL STRATEGY.

1940's: A Maurice L. Freedman Co. de Rhode Island publica WARFARE NAVAL
COMBAT.

1961: A Ideal publica SALVO."

Ante estas informações, fiquei com um pouco de dúvida, se falava o Dilson do jogo em papel ou do jogo de tabuleiro. Indaguei isso dele, e a resposta foi a seguinte:

"...A origem do jogo remonta à ociosidade dos soldados na guerra, com toda certeza os mesmos o criaram com papel é lápis.

Posteriormente (1931) é que foi lançado como um produto comercial (mesmo assim deve ter sido com 2 bloquinhos quadriculados, um para cada jogador, com as representações dos navios impressas ao lado).

Segundo a Milton Bradley, "durante a I Guerra soldados russos desafiavam-se mutuamente com um jogo tático chamado Salvo, jogado com papéis quadriculados.

Os franceses tinham um jogo similar chamado L' Attaque."

NADA COMO FALAR COM GENTE CULTA!

Ao DILSON, mais uma vez, meus agradecimentos.

E navegando na net, cheguei ao site (CLIQUE AQUI)do amigo MARCUS, onde existe uma pequena seção de "jogos no papel", onde o webmaster MARCOS ZAMORIM, colocou as regras e disponibilizou um arquivo em ".pdf" com o "tabuleiro" para o jogo.

Além disso, acredito que ainda existam "blocos de batalha naval" para serem comprados em papelarias.

HOME