Alfonso X
Jogos Modernos
Jogos de Mesa
Jogos Infantis
Jogos para Grupos
Jogos de Rua
Quebra-Cabeça
Jogos de Tabuleiro
Jogos Diversos
Jogos de Boteco
Jogos Matemáticos


Escritos
Concursos



 
Pega-pega por equipes:  

Este jogo tinha um nome mais específico, mas realmente não me lembro. É uma derivação do "pega-pega" tradicional, jogado, neste caso, por duas equipes, que deverão possuir mais ou menos o mesmo número de pessoas.

Combina-se onde serão os "piques" (um para cada equipe), como dois postes em lados opostos da rua, ou dois pontos em muros relativamente distantes. Cada equipe deve ficar em seu pique. Um jogador sai de um dos piques. Nesse momento, ele pode ser pego por um jogador adversário que tenha saído de seu próprio pique, depois dele. Outro jogador pode sair para "proteger" aquele primeiro, já que este pode pegar o perseguidor daquele. Em dado momento, podemos ter diversos jogadores sendo perseguidores e perseguidos ao mesmo tempo.

Um jogador pego, deve se dirigir ao pique do adversário, onde ficará até ser libertado por um seu companheiro de equipe. Para tanto, basta que um toque a mão do outro.

Os jogadores capturados, costumam fazer uma "corrente", na qual um segura a mão do outro e se o primeiro for tocado, toda a "corrente" está livre.

Marca-se ponto, quando um adversário consegue tocar o pique do outro.

Normalmente as equipes se dividem em "iscas" e "defensores": os primeiros saem do pique, buscando atrair os adversários para longe de seu próprio pique; os outros tendem a ficar próximos ao pique, protegendo-o.

Este jogo é mais divertido de ser jogado do que se ser descrito...

* Mais uma contribuição, atendendo aos meu pedidos. Meu irmão, Dr. SÉRGIO EDUARDO MENDONÇA DE ALVARENGA, lembrou que o nome deste jogo é "Manda-rua"...

* Iniciada mais uma polêmica (aliás, é disso que eu gosto!). Um grande amigo de infância, CARLOS CÉSAR TAVARES DE CARVALHO, depois de chamar a mim e a meu irmão de "desmemoriados", lembrou que o nome "verdadeiro" do pega-pega por equipes é "PIQUE JAPONÊS"...A pergunta que fica é: o que é então o "MANDA-RUA"?

*A polêmica acima continua. Mas aos poucos vamos esclarecendo as coisas. A seguir, a contribuição do amigo EDSON SERRANO JR, de Santos/SP, esclarecendo o que é (ou pelo menos o que era...) o "MANDA RUA".

Meus agradecimentos ao Edson:

"Nossa turma jogava o manda-rua que era bem simples: jogava-se na rua calçada. Eram escolhidos dois manda-rua que ficavam na rua e os outros ficavam na calçada. Os jogadores deveriam atravessar a rua sem que os manda-rua os pegassem. Podiam atravessar juntos, um de cada lado, etc....Se ficasse um só em uma calçada, podia ser pego pelos dois manda-rua, ai os outros atravessavam para ajudar. Se os manda-rua subissem na calçada, eram ¨malhados¨. . Havia um limite de espaço para a calçada + / - uns 15 ou 20 metros (dependia do tamanho da turma (a nossa tinha uns 40 moleques) . Os que eram pegos viravam manda-rua e pegavam os outros. Era uma correria só. Ganhava o que conseguisse atravessar a rua mais vezes sem ser pego. Esse número não passava de 3 ou quatro vezes".

------------

Em junho de 2005, o amigo CARLOS AUGUSTO, do Rio de Janeiro, me mandou a seguinte mensagem:

"Ola meu nome é Carlos tenho 25 anos e posso dizer que sou um ótimo jogador de pega-pega.
Sobre o pega pega existe um outro nome muito popular no rio de janeiro que se chama Bandeirinha, pois usava bandeirinhas ou na falta delas galhos de arvore, já o manda-rua era quando as equipes eram formadas por ruas diferentes sendo assim a rua ganhadora tinha que ser reverenciada pela rua perdedora, onde morei chegou até ter um mini campeonato com 5 ruas onde a final foi emocionante com direito a serem escolhidos o melhor driblador, o melhor pegador de bandeira, o melhor defensor e o mais reclamão ( até pq sempre tem um que fala mais que brinca) a não esquecendo tinha a torcida e tudo.
um grande abraço."

Fiquei curioso e pedi a historia desse "mini campeonato", no minimo "incomum". E o Carlos esclareceu:

"Olá Mauro,

Bem a história foi o seguinte:(obs tudo que estarei relatando aconteceu realmente).

Sempre jogávamos na nossa rua só os moradores, um dia conversando com um amigo da rua de baixo e eles de brincadeira disseram que eles eram os melhores do bairro, por coincidência Rafa tava por perto ele é um morador de outra rua e levou a sério o desafio nós tb aceitamos. No dia seguinte Sr.Dirceu meu vizinho estava me chamando lá encontrei o Rafa da rua de cima Tadeu da Rua de baixo e mais 3 meninos de outra 2 ruas que não to lembrado o nome. Sr.Dirceu é um pessoa muito divertida. Ele sempre gostou de jogos e mesmo sendo um adulto (na época eu tinha 13 anos) até participava com agente, ele tb sempre foi muito organizado já estava com uma prancheta para organizar o primeiro campeonato de Pique Bandeirinha de Ruas (como sou do interior do Rio na baixada fluminense as informações voam mais rápido que a velocidade da luz) .
As regras eram as seguintes tinha que ter 7 participantes em cada time com direito a 2 reservas mas todos os noves tinham que ser moradores da rua, cada vez que um defensor capturava um atacante sem a bandeirinha ele contava 10 pontos com a bandeirinha 25 pontos se o atacante conseguise ir até a bandeirinha e voltar sem a bandeirinha era 20 pontos e se o atacante pegasse a bandeirinha e conseguisse atravessar ganhava 50 pontos..

Quem contaria os pontos seria ele e mas 1 adultos de cada rua participante com que a "moral fossem dignas" (palavras ditas por ele mesmo).
Os jogos seriam todas as sextas e sábados com jogo de ia e volta isso que dizer que na sexta o jogo era na nossa rua no sábado era na rua do adversário.
Como eu já falei sobre as informações de um bairro no interior correm muito rápido no dia do primeiro jogo a rua do Rafa já tinha até vendedor de cachorro quente perto do local teve até que ser retirado do local pois estava pondo em risco os "atletas".
Teve de tudo família oferecendo sorvetes aos integrantes de seu time, o pai do DUDU que era o nosso melhor driblador fazia sempre um lanchinho para gente antes de nossas partidas e nas vitórias ainda pagava um picolé pra cada um.
Tudo ocorreu na maior felicidade afirmo que neste momento estou chorando de felicidade ao relembrar das corridas, quedas, e tudo que pode acontecer num jogo de crianças.

Nós não ganhamos ficamos em segundo lugar. Outro dia conto como foi a final. Mas acho hoje com 25 anos que a maior vitória foi de todos que participaram indireto ou diretamente pois não existe nada melhor que ser e poder agir como uma criança.

Agradeço por vc deixar eu contar esta oportunidade, e prometo contar como foi alguns jogos e a final que foi emocionante e complicada com a invasão de um cachorro no meio da rua.

Abraços a todos e deixo aqui uma mensagem:

"Ser criança não é apenas um ato de ser e sim um ato DIVINO"

Ao Carlos, o meu muito obrigado pela contribuição.

E fico aqui me mordendo de raiva de ter perdido essa competição, que deve ter sido simplesmente sensacional!

HOME